segunda-feira, maio 09, 2011

Ame seu corpo!


Volta e meia eu penso nisso: meu corpo é a minha casa, é o que eu realmente tenho no mundo. Ele me transporta, ele enxerga, ele toca, ele faz as coisas que eu preciso, das mais básicas às mais elaboradas (dentro das minhas habilidades, claro).
Mas a gente tem uma cultura que simplesmente despreza o corpo. Pode parecer estranho, porque só vemos "corpos" bonitos nas capas de revistas, mas isso não é um verdadeiro "culto ao corpo". Isso é apenas um culto ao padrão estético do momento. E, no momento, esse padrão é o "magérrimo".
Os romanos antigos diziam "mente sã em corpo são" porque corpo e mente devem estar ligados e ter a mesma importância. Porque ambos devem ser saudáveis.
Mas na vida corrida que a maioria das pessoas leva hoje em dia, o corpo acaba ficando em último lugar. Último mesmo, a ponto de alguns só lembrarem que têm um corpo quando estão quase morrendo! Ou quando o corpo grita de alguma maneira: pedra no rim, na vesícula, pneumonia, por aí vai.
Eu tenho deixado meu corpo de lado. Estou acima do peso, minha pele tá ruim, meu cabelo também. Às vezes sinto umas dores esquisitas aqui e ali e não vou no médico há mais de ano, eu acho. Isso não é um desrespeito?
A gente não fica furioso quando vê alguém querido que não se cuida e tem problemas de saúde? E porque o mesmo não acontece quando somos nós mesmos os desleixados? Porque insistimos em maltratar a nós mesmos?
Estou tentando parar com essa autosabotagem. Não é saudável em nenhum sentido e só me traz prejuízos. Acho que isso é uma luta diária de identificar as atitudes negativas e parar imediatamente, mesmo que a ação já tenha iniciado. Mesmo que você esteja com a fatia de bolo a meio caminho da boca, com o cigarro nos lábios ou tentando quebrar o pau com seu namorado. Páre! Imediatamente! É necessário estar sempre atento a si mesmo, até que você tenha adquirido bons hábitos e faça coisas saudáveis naturalmente.
Você tem que amar seu corpo como ele é. Não almeje ser a Gisele Bündchen, esse tipo de desejo só vai trazer frustração. Ame seu corpo como ele é e imagine como ele pode ser se você se dedicar um pouco a ele: uma alimentação melhor, um pouco de exercício, parar de fumar. Não é muita coisa se você pensar racionalmente a respeito.
Comece devagar e vá adiante. Uma pequena mudança que você consiga implementar na sua rotina, vai dar coragem e ânimo para que outras mudanças sejam feitas.
Procure histórias inspiradoras, há várias!
Eu mesma tenho uma amiga que conseguiu emagrecer muito com dieta e exercícios. Nada de remédios, nem cirurgias. Só a vontade de ser melhor. Ela tem dois casos de obesidade na família e todos os demais problemas que a obesidade traz e resoveu que ia ser diferente. E conseguiu! Admiro-a muito porque tive a oportunidade de acompanhar quase todo processo de mudança. É um dia de cada vez, uma mudança de cada vez. Mas a principal mudança é interna, é ter mais compaixão de si mesmo, entender o próprio comportamento, parar de ser tão rígido consigo mesmo.
Perceber que para muitas coisas não há um certo e errado, porque a gente faz o que acha possível fazer naquele momento, o que temos coragem de fazer, e o que nos parece o mais acertado naquele momento.
Temos que parar de descontar em nossos corpos as nossas raivas e mágoas.
E temos que parar com o desleixo. Porque o desleixo é uma coisa não saudável, que só nos prejudica. Assim como julgamos as coisas, em primeira impressão, pela aparência, assim somos julgados. Podemos falar que somos contra as aparências, mas a verdade é somos humanos, e julgamos, sim, pelas aparências. Temos nossos preconceitos.
É importante sim, que nos sintamos bem conosco mesmo. Quando falo em aparência, não falo em roupas. Mas se formos desleixados, esse desleixo transparece no corpo, no rosto, na roupa e nas atitudes. E isso não inspira confiança.
Pense bem: você confiaria em alguém que você vê que se maltrata? Confiaria seus filhos aos cuidados de uma pessoa desleixada, muito acima do peso, fumante?
Todos sabemos da correlação entre uma aparência de sucesso e sucesso. Você tem que transparecer no corpo aquilo que almeja.


Com isso não quero dizer que você tenha que ser magérrima, usar as melhores roupas, ter sempre o corte de cabelo da moda. Mas uma pessoa que se cuida, que se ama, passa uma imagem de confiança para as outras pessoas.
Sempre que eu estive bem na minha vida, psicologicamente falando, eu estava bem no meu corpo. Estava em forma, me alimentava bem. O emocional é algo ligado profundamente à maneira como você trata seu corpo, procure sempre prestar atenção no seu emocional.
Quando não estou bem emocionalmente, ganho peso, minha pele fica ruim, só como porcarias. Uma coisa é conseqüência da outra. Estou me tornando consciente disso, para poder mudar esse padrão de comportamento, de algo de ruim acontecer na minha vida e eu acabar degringolando todo resto. Como eu já disse: é preciso estar sempre atenta. Felicidade é coisa que a gente constrói todos os dias. Um corpo como o que eu quero, devo construir todos os dias.
Essa coisa de ame a si mesmo é óbvia, mas ao mesmo tempo não é. A gente escuta isso, lê isso, vê filmes que dizem isso, mas como é difícil entrar na cabeça! Só que nunca é tarde!
AME-SE! AGORA! JÁ! PÁRE DE SE MALTRATAR!

Beijos da Taís.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Adoramos saber o que você pensa! Compartilha com a gente!